Você já deve ter escutado por aí aquela velha frase: sempre irá existir um lugar reservado no mercado de trabalho para quem é multitarefas, realmente eficiente e dedicado no que faz — ainda que as oportunidades estejam escassas.

Bom, ela tem lá seu fundo de relevância no cenário atual, no qual as empresas exigem cada vez mais dos profissionais, em termos de qualificação. Hoje, para chamar a atenção em meio à concorrência, não basta ter concluído a faculdade, ainda que com louvor.

É preciso buscar mais. Aprofundar-se, especializar-se — em diversas funções — mas, sem perder a visão ampla das coisas. Ter bons conhecimentos tecnológicos. Demonstrar capacidade de realizar várias tarefas e manter a produtividade. Cultivar habilidades que vão além da formação acadêmica inicial. Ou seja, ser um profissional multitarefas — o perfil mais disputado pelas organizações atualmente.

Mas, o que mudou?

O fato é que alguns fatores nos trouxeram até aqui. Um exemplo é a mudança da comunicação e da relação entre empresas, consumidores, colaboradores e concorrentes, por conta do advento de novas tecnologias, redes sociais, e com a globalização, de modo geral. Além disso, através da internet, que alcança, hoje, um número bem maior de pessoas, o público está mais bem informado — consequentemente, mais exigente.

As transformações decretaram a necessidade da presença de profissionais mais preparados nas companhias, que pudessem dar conta de novas demandas.

Entretanto, o que também contribui, e muito, para o foco voltar-se aos multitarefas é a crise pela qual passa o Brasil desde 2014. Com a deficiência financeira do país em evidência, vieram intensos cortes de custos, o fechamento de postos de trabalho, e a queda de contratações. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o desemprego chegou a atingir 13,23 milhões de pessoas em 2017. Em 2014, esse número era cerca da metade disso — 6,75 milhões.

O valor da qualificação profissional

E entre um corte e outro, quem será que sai perdendo? Certamente, é aquele profissional que menos traz vantagens à empresa — na visão dela. Sendo assim, investir em qualificação é o caminho para quem quer assegurar um lugar no mercado de trabalho. Não se acomodar, explorar novas habilidades, e desenvolve-las, é a melhor estratégia para se enquadrar no tão requisitado perfil multitarefas.

Em geral, existem algumas características muito valorizadas pelas empresas em um profissional. Uma delas, por exemplo, é a disposição para aceitar desafios. Estar preparado para assumir novas responsabilidades é fundamental para crescer na carreira — e, também, para o crescimento do negócio.

Ainda, capacidade de liderança e poder de negociação através das habilidades de comunicação e empatia são outras qualidades muito estimadas no mercado de trabalho.

No ambiente corporativo é preciso ser ágil, definir estratégias, muitas vezes tomar rápidas decisões assertivas e que resulte em produtividade, entre tantas outras atribuições. E o profissional que consegue fazer isso, com articulação e clareza, destaca-se entre os demais.

Especializações e a ferramenta Coaching, por exemplo, estão aí para ajudá-lo nesse quesito. Essas mesmas especializações e o Coaching contribuem para que um profissional — multitarefas — mantenha-se não somente atualizado sobre o cenário em que está envolvido, como também apto para desenvolver as habilidades citadas inicialmente e assim construindo uma postura multidisciplinar e multicultural.

Outras aptidões bem vistas pelas empresas são a capacidade de inovar e de trabalhar em equipe. Empreendimentos precisam se reinventar e criar novas soluções para conseguir sobreviver em meio à concorrência. E contar com pessoas que possam colaborar nesse sentido é essencial. Por sua vez, saber trabalhar em equipe é uma exigência clássica.

O candidato que consegue aliar o seu trabalho, suas qualidades e ideias, com as dos colegas, de forma eficiente e harmônica, encontrando soluções para as demandas e contribuindo para o sucesso do negócio, preenche mais uma importante condição do mercado de trabalho.

A importância do autoconhecimento

Mas, claro que nem sempre é simples encontrar a direção certa na busca por se tornar um profissional multitarefas. Quais especializações escolher? Quais são as suas aptidões mais promissoras? Em que é possível e é preciso melhorar?

Quais são os seus pontos fortes e fracos? Para resolver esse tipo de problema, no entanto, existem serviços específicos — é o caso do Coaching, prestado por empresas como a JJ Assessoria em RH – www.jjabrasil.com.br.

Conforme o International Coach Federation (ICF), “Coaching é fazer uma parceria com os clientes em um processo estimulante e criativo que os inspira a maximizar o seu potencial profissional”. Esta é uma das técnicas capazes de impulsionar uma carreira — já que presta auxilio a quem está disposto a fazer as mudanças adequadas para alcançar os objetivos traçados.

O Coaching promove autoconhecimento e torna mais fácil a tarefa de se transformar em um qualificado profissional multitarefa, pronto para atender as exigências do mercado de trabalho atual.

Se conhecer é o primeiro passo para o sucesso. 
Então descubra aqui mais sobre si mesmo para poder aplicar isso em seus relacionamentos no trabalho.

[contact-form-7 id="29419" title="posts"]

Pin It on Pinterest